IMPORTANTE!!
Esse blog não pretende usar postagem de nenhum outro blog em seu nome. Aqui eu posto o que vejo e gosto, e junto com isso os devidos créditos. Caso os créditos de alguma postagem não estejam certos, entre em contato comigo para que eu possa corrigir. Desde já, obrigada!

sábado, 23 de abril de 2011

"Existem quatro coisas na vida que não se recuperam:

- a pedra, depois de atirada;
- a palavra depois de proferida;
- a ocasião, depois de perdida e 
- o tempo, depois de passado."
(Almodóvar) 

     Ai...que bom seria podermos controlar o tempo... Fazê-lo passar bem depressa nas horas de aflição e pará-lo nos momentos bons...
     Retroceder na caminhada e voltar a viver os melhores anos de nossas vidas, e lá ficar sem ter que se preocupar com o hoje ou o amanhã... Retroceder a idéia, ponderar as críticas, amenizar o ímpeto como uma oporundade de fazer de novo e melhor. 
     Quem nunca pensou assim... um dia que fosse, naquele momento em que nos damos conta de ter feito tudo errado, de ter desperdiçado a oportunidade ou recusado a mão que nos foi estendida?
     Já dizia o centenário Emílio Moura: "Viver não dói. O que dói é a vida que não se vive". 
     Jaá pensou nisso? A nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram. 
     Temos algo como uma pré-disposição a esquecemos o que foi desfrutado e sofrermos pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido e não conhecemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.   
     Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar. 
     Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. 
     Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. 
     Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
     Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: se iludindo menos e vivendo mais.  
     É preciso viver o presente sendo desejosos de realizações, reconhecer que o medo que o futuro insiste em querer nos projetar é apenas e nada mais que um medo. 
     Para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. 
     Para os erros há perdão; para os fracassos, chance; para os amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. 
     Desconfie do destino e acredite que todo dia é uma oportunidade de fazer a diferença!

Um comentário:

  1. Oi
    tem desafio dos sete lá no blog pra vc....
    beijos
    e uma doce e feliz Páscoa!
    ^^

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...